8 de dez de 2010

"Eu também tentei proteger o teu nome.
Era por amor, mas o codinome não era de ave,
não era beija-flor nem nada parecido.
Ao invés do nome escocês,
daquele que surgiu das águas, águas negras
que lhe da disciplina, lealdade e amor gigante.
Preferi um nome, codinome,
para te torna um pouco mais caridoso
ao ponto de me acompanhar na longa estrada,
porque só me restava esperar que renascesse em ti
o amor que agonizava em mim."

3 comentários:

  1. Algum tempo, Carlos, deixei de querer ser o joão-de-barro e uma casinha e um amor, após tantas e tantas tentativas... Prefiro hj ser um beija-flor!
    Bjs*

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu blog!

    Adorei o texto...
    "...porque só me restava esperar que renascesse em ti o amor que agonizava em mim."

    Acredito que todos nós sonhamos e aguardamos a realização desse sonho, que renasça no outro aquilo q nutrimos em nosso íntimo, por vezes em segredo.

    Beijos,

    Tow te seguindo.

    ResponderExcluir
  3. Franck, como eu ADORO os seus comentários!!!

    Karlinha, vc me deixou todo, todo agora rsrsr e vc leu perfeitamente as entrelinhas, era isso que estava pensando, ou talvez, ainda pense e sinta...

    Beijos...

    ResponderExcluir