23 de mar de 2011

I can't help feeling,
We could have had it all,
(...)
Tears are gonna fall, rolling in the deep
You had my heart inside of your hands

Teria sido sonho, se fosse qualquer outra pessoa, exceto você. Mas era você. E o que poderia ter sido sonho tornou-se um misto de melancolia e incredulidade...

20 de mar de 2011

Nem tanto...

Diferente? Nem tanto. Mudei, mudo a cada dia. É que ainda não me tornei indiferente nem as tempestades nem as primaveras; nem aos beijos que ganhei, ou, as porradas que tomei. Tudo mexe comigo, estou em constante alteração, felizmente. (mas fique subentendido que em relação a você tudo mudou!)

...

13 de mar de 2011

Um pouco de tudo...



As minhas piores dores foram provocadas por minhas próprias ações, ninguém nunca teve o poder de me machucar mais do que eu mesmo. 

Porque somos cruéis, se animais irracionais tem instinto de sobrevivência, os racionais, nós, temos instinto de crueldade. E, é difícil sabermos domá-lo.

Mas leveza, calmaria, chá-verde ao entardecer, casa vazia, chuva na terra ajudam... 

*

I had so many dreams, I had so many breakthroughs
But you, my love, were kind, but love has left you dreamless

 *

As esperanças frustadas, as espectativas malogradas, os sonhos que não se cumpriram, eis do que é constituida a vida, a sua, a minha, as nossas. Mas do alto da minha petulância eu sigo esperando, acreditando, sonhando... e se o que eu espero não chegar essa minha fé louca terá tornado o caminho menos duro. 

Queria tocar sua face, segurar tua mão para que acreditasse também... me confortaria ver teus olhos brilhando novamente.  

*

But there's a side, to you, that I never knew, never knew.
All the things you say they where never true, never true,
And the games you play, you would always win, always win.
But I set fire to the rain,
Watched it pour as I touched your face,
When it burned, well I cried,
Cause I heard it screaming out your name, your name!

*

Escrever é também uma forma de sorrir ou de chorar.

*
Que o seu bastar baste ao meu amar. Não me basta um telefonema. Mas nem esse algo pequeno, que não basta, ele é capaz.

Antes sofrer que impor o que quer que seja. Antes renunciar. Vou lhe deixando rastros...
 

P.S.: Dos itálicos - 1) Time - David Bowie; 2) Set fire to the rain - Adele; 3) Caderno T - Denilson Lopes in: O homem que amava rapazes e outros ensaios. Ed. Aeroplano.

1 de mar de 2011

Tudo ou nada, de uma vez, agora.


Não me deem migalhas. Eu não me contento com pouco. Se amo é intensamente; as amizades são sempre verdadeiras até a alma; os sentimentos, desejos e pensamentos  são expostos por mais que me doam posteriormente.  Eu sou verdadeiro, é “sim” ou “não”, “talvez” não rola, “pode ser” me faz perder o tesão na vida. Tem que ser quente ou frio. Aqui ou lá. Agora ou nunca. Não é fácil, não é simples, mas é tão melhor. Nada fica meio-dito, falo agora ou me calo para sempre. É tão mais admirável se decidir entre o “oito” e o “oitenta”, não dá pra ficar no meio do caminho ou em cima do muro. A vida é curta demais para esperarmos um pouco mais a cada dia, me deem tudo de uma vez, ou então, nada me interessará.