30 de mai de 2011

Espera

Guarde as flores entre as folhas de Sophia ou de Florbela, 
pois, quando eu chegar já não existirá vivacidade em suas pétalas, 
mas haverá o resquício de que vivestes a primavera. 

29 de mai de 2011

Again, Again, Again

Porque eu tenho essa mania de fazer a vida valer a pena. Os problemas vêm, alguns são baques tremendos, balanço um pouco, sofro, mas volto a buscar meu eixo, meu chão, meu prumo. E, eu volto a sorrir sem motivo aparente no meio de uma tarde de quarta-feira quando ainda tem tanta coisa sobre a minha mesa para terminar. Eu volto a sonhar com o futuro, a sonhar coisas bobas, a sonhar com  alguém que veio ao mundo para mim, mas que ainda não me achou. Eu agradeço à Deus, aos forças da natureza, aos Deuses e Orixás, rezo um Ave Maria e sigo cantando e agradecendo a vida. Por que, como já disse Fernando Pessoa, "sendo mais do que um espetáculo de mim mesmo, eu tenho que ter o melhor espetáculo que posso". E, quando novos problemas chegarem, eu enfrentarei tudo de novo e de novo voltarei a fazer a vida valer a pena...

That's just me!

25 de mai de 2011

Maio, já está no final...

(Retirado do Caderno Vermelho)

Eu te encontrei numa tarde fria de maio
quando o frio já me causava alguma dor e prenunciava
o inverno que viria.
Eu te vi naquela grande avenida
e ainda me lembro
quando meus olhos cruzaram com os teus,
só não sei se te encontrei
para que me tirasses a dor do peito
ou, para provocares outras novas.

19 de mai de 2011

Fragmento retirado do caderno vermelho - 4º


 
 ...
Escreva-me de onde estiver para contar coisas fúteis sobre o seu dia-a-dia. Acalme meu coração, antes que eu já não suporte mais. Porque saber que você está bem já me aliviaria a dor de muitas noites que passo em claro olhando para o vazio que você deixou neste apartamento. Aí que bobagem, isso não é nada, perto do vazio que existe em mim. Falta sempre algo, falta sempre algo que é teu. E, já não posso me acostumar com menos; nos últimos meses minha vida resume-se a subtração. Está tudo sendo tirado de mim. Ás vezes, tento prever se ainda, me perguntarás se algum dia eu te amei, da mesma forma que me disse uma vez que eu era tão mais divertido do que parecia. A cada vez que penso nisso surge diferentes respostas, mas sei que a única coisa que conseguirei responder será: desesperadamente!
...

But, I wish nothing but the best for you...

15 de mai de 2011

Porque eu tô voltando...

e trago saudades na bagagem...

Depois de longos e conturbados dias, eis que a poeira começa a assentar e o caminho começa a ficar claro de novo. Não sei se posso falar em ordem, porque sou daqueles sempre fora de ordem, mas pelo menos aos coisas estão voltando ao seu desarranjo costumeiro. 

Se toda volta implica uma partida ou ausência, como é o caso, ela também implica saudades, e quantas eu guardei por esse curto espaço de tempo, às vezes, as quatro da tarde de uma quarta atribulada me batia uma vontade de poesias conhecidas e palavras mágicas que tantas vezes encontro por aqui, mas não havia tempo. Felizmente, essa semana já comecei a matar essas saudades (não digo recuperar o tempo perdido porque ele está muito precioso pra que eu o perca à toa!). 

E, também a ter tempo de respirar...

Não sei por quê, mas nos últimos anos os meus meses de maio têm guardados intensas surpresas, são muitas coisas, e notícias muito boas e muito más também, tudo junto e ao mesmo tempo. Às vezes se torna difícil  me manter no eixo, mas até agora, nada me desviou dele. Esses dias cheguei a pensar se não seria uma possível conjunção astral - mas não, lembrei que o signo de touro rege boa parte desse mês, imagina sempre adorei os taurinos, tenho e sempre tive grandes amigos e pessoas muito importantes e ( e que foram de alguma forma) especiais regidas pelo Touro zodiacal. Logo a hipótese sumiu entre tantos outros pensamentos. 

Não sei, talvez não haja explicação e tudo seja apenas uma coincidência. Mais um desses Mistérios difíceis de responder!

Mas, o importante é que eu Voltei! (e espero que seja pra ficar!)