19 de out de 2014

sonho dos poetas

a poeta fala de sonho
o que sonhou no último sábado
isso me atinge em cheio
não tenho mais sonhado durante as noites
nada
beijo morte água voo queda sexo briga dança 
nada disso
breu total 

***

tenho sonhado acordado
com uma voz que desconheço
e que sussurra palavras ininteligíveis 
que me arrepiam
com olhos profundos 
e um sorriso doce
que ainda não reconheço 

***

tenho sonhado acordado
com o aquele cabelo claro
branco de tão loiro
a pele lisa
e clara
Deutsch
com a língua dele
que não compreendo 
com o frio de berlim

***

tenho sonhado acordado
com a voz grave
da cantora cubana
"logro decirte que te quiero, 
que tu eres todo lo que anhelo"
com ele que sorri 
e confessa
"it isn't portuguese
I can't undestand"

***

tenho sonhado com o sol de havana
a neve de berlim
a viagem
a aprovação
com a forma única
na qual me disse
fi-ca-mos

é real? 






4 de out de 2014

apareça!

disse oi! duas vezes. antes de tudo sorri e respondi: oi!  antes não tivesse dito? ou, os dados ainda estão rolando? não sei. não sei se foi o frio, o nariz torto, o sorriso largo, os olhos puxados, os lábios grossos, nada disso. foi tudo isso que nos fez ficarmos horas seguidas emendando um assunto no outro. o espelho, a sua cama de solteiro (convite para que dormisse sobre meu peito), a tatuagem sobre o amor, a promessa de domingos de sol no Ibirapuera ou de noites de filme, pizza de queijo e pipoca doce, sua barriga saliente, o rosto fino, o jeito doce, a risada inesquecível, a manha de todo caçula. o beijo que tanto desejo. as horas sozinhos, a espera pelos encontros... as listas e mais listas que fiz para entender porque você é inesquecível. não entendi, mas você é. não faça eu ter que te apagar a pulso de minha lembrança, de meu corpo, da minha vida...