29 de set de 2012

entre


Ele abre a porta e abre um sorriso desajeitado
vira as costas e vai embora
Ela abre a boca diz o que não deve
agora chora embaixo do chuveiro
O outro abre várias garrafas bebe demais
e não sabe se ri ou chora
Eles fecham o carro abrem o zíperes
o vidro embaça
Na esquina alguém não olha o sinal 
atravessa o carro não para
Elas dançam há horas abrem os braços
sorriem juntas
Um observa o outro 
observa muita coisa é dita sem precisar de palavras

15 de set de 2012

de tanto aperto meu coração virou um micro-coração


w., 

poderia ter dado certo, mas não deu. e agora eu fico me perguntando: por quê? tento adivinhar onde você está agora? o que anda fazendo, escrevendo? se ainda pensa em mim? fico pensando porque quase nada saí como eu planejo nem espero, se terei chance de ser feliz por mais que alguns minutos... todas essas coisas que se eu contasse, você riria de mim e diria que eu ainda estou novo demais pra ser tão pessimista. ainda acho que não sou. é que hoje eu acordei doído, com vontade de abandonar as milhares de coisas que fiz e fugir em busca de um papo, um abraço, um contentamento. porém, nos instantes em que a minha atenção se dispersava o que eu via não era nada animador, então inventei mais coisas para fazer até agora, para não pensar no cenário atual da minha vida. e já não sei porque escrevo me dirigindo a alguém, minhas palavras não são mais pra você...



PS:



Elza, inigualável Elza!!! 

4 de set de 2012

ironias da vida (para rir ou chorar, ou, os dois ao mesmo tempo)



Definitivamente, quando a vida resolve tirar uma da minha cara, ela faz melhor do que ninguém.

a)Dentro do ônibus entre um assunto e outro ela disse: "Não vejo a hora de chegar as férias, não aguento mais ter aula!"
E, eu quase chorando: "Não vejo a hora de ter aula, não aguento mais ter greve!

b)Não bastasse isso, (justo hoje) abro o e-mail, leio o que importa, deleto os 98% que não me interessava, quando estava prestes a clicar em sair um novo e-mail, da camicado, óbvio era uma propaganda - "Venha fazer sua lista de casamento". Só me restou gargalhar alto e deliciosamente, porque ninguém me aturou mais que 3 semanas, pensar num relacionamento passageiro já é quase uma utopia (ainda mais nessa semana), e sou obrigado a receber isso.  

PS. se ainda fosse a propaganda de uma dessas agências de encontros, do tipo: "encontre sua alma gêmea respondendo apenas 25 questões", poderia rever todos os meus preconceitos contra elas. 

o que é que eu faço agora?

o vidro rachado, foi estilhaçado no chão. farelo, pó, quase nada. não foi tiro, nem pedra, nem pau. mas, o ponto final lançado que me fez desmoronar. e, me encontro de novo nesse lugar tão meu. vazio. não escondo minha culpa, ela escorre pelo asfalto tingindo tudo de vermelho. preciso encontrar forças de algum lugar desconhecido para virar a página. não posso mais me apegar a você na esperança de que chegue logo o mês que vem. amanhã tenho que estar menos quebrado. mais inteiro. pois, com reparos, ranhuras e frestas ainda escreverei muitos capítulos.