23 de jun de 2011

Amar não significa deixar-se humilhar

 À todos que não se permitem cair em testesinhos medíocres

Eu não mendigo amor. Não chego nem mesmo a implorar por ele. Talvez por isso esteja sozinho até hoje? Talvez! Mas, acho melhor assim, acho isso bem, como diriam os portugueses. Não me restam, dúvidas, cobranças, inseguranças. Às vezes ausência, solidão, mas sobrevivi a tudo até agora.
Eu preciso encontrar alguém que cale minha boca, que me faça sentir faltar de ar e que faça o meu ar sumir cada vez que se afastar de mim. Amor pra mim é assim, explode. Ao contrário das palavras que são digeridas e praticamente gestadas por invernos e abris até que estejam prontas para ocupar o papel em letras bordôs.  
Nunca me dei bem com certos joguinhos que algumas pessoas fazem, dizendo que não querem, querendo, que não podem, podendo, tudo para testar o outro, para ver se o outro está realmente afim, ou não, e até onde insistirão, como se persistência provasse qualquer sentimento. Me desculpem, mas não nasci pra isso, se quero não precisa me provar nada antes, depois veremos aonde vai, digo que quero e vou, arrisco. E, claro que já quebrei a cara, mas faz parte da vida sócio sentimental de todos nós.
Só lamento, se alguém tentou (ou tenta) aplicar um desses "testesinhos" medíocres comigo, porque eu não liguei mil vezes tentando fazer a pessoa mudar de ideia, não mandei flores para amolecer o coração ou fiquei mendigando o amor de ninguém, mesmo que existisse paixão ou o encantamento. Pois, se me disse não quero, não posso, não dá, eu viro a página, a esquina, o alvo e sigo. Nunca dei murro em ponta de faca.
 E, só ligo, mando flores, peço amor e carinho a quem eu sei que tudo isso será uma imensa alegria, porque desde sempre deixou isso claro pra mim, a quem ligou no dia seguinte ou retornou as minhas ligações que caíram na caixa postal, e me disse de alguma forma que também queria me ver de novo (e tem que existir mais algumas dessas criaturas por aí, mesmo que perdida em algum lugar).
Enquanto eu não encontrar alguém que esteja realmente preparado pra viver sem aplicar joguinhos e testesinhos vou ficando assim e muito bem, obrigado. E se querem saber, arrependimentos não vêm me acompanhando nos últimos anos. Nem pelo que fiz, e muito menos pelo o que deixei de fazer...

20 de jun de 2011

Já que não te tenho por perto...


Pra alegrar o meu dia - Tiê

Já que não te tenho por perto
Eu vou tomar um sorvete
Para alegrar o meu dia
Já que você não veio na mala
Eu vou dormir na sala
Pra mudar a rotina


Hoje ficou tarde pra ligar
Não espere que de longe você vá me namorar
Ás vezes me canso até andar na rua e respirar
Desatando a garganta que aperta de lembrar
Que a saudade é sua


Ah, ah, ah, ah, ah...


Já que não te tenho por perto
Eu vou tomar um sorvete
Para alegrar o meu dia
Já que você não veio na mala
Eu vou dormir na sala
Pra mudar a rotina


Eu não tenho tempo pra ficar questionando a vida
Posso até ousar e reinventar, numa outra saída
Se quiser tentar adivinhar o que eu guardo aqui no peito
Não se acanhe de falar, é o seu direito




PS: 1) o meu dia está alegre mesmo sem você aqui, mas mesmo tarde se quiser ligar... (talvez não seja tão tarde, assim) talvez eu possa encontrar minha alegria sem artifícios.

2) Tiê, sempre maravilhosa Tiê.

18 de jun de 2011


I am not in love with you, yet.
But, I wanna see you dance again...
On this harvest moon
Ouvindo aqui

9 de jun de 2011

"E adoro os efeitos sonoros de quando você sussurra absurdos no ouvido 
do meu coração..."
 
A Banda Mais Bonita da Cidade 

8 de jun de 2011

Porque não há nada mais lindo que o céu depois de tempestades

Venha como a tempestade, sem aviso,
me tome de assalto como as nuvens tomam o céu,
que seus braços assim como os ventos percorram meu corpo,
e me faça acorda como uma manhã depois de uma madrugada de chuva.
Porque não há nada mais lindo que o céu depois de tempestades.

5 de jun de 2011

Escolhendo os modelos.

Uma vez eu ouvi, de uma dessas pessoas que temos a chance conhecer uma vez na vida e que vamos admirar para sempre, que ela, assim como os artistas clássicos, acredita que pra sermos bons em qualquer coisa temos que seguir um modelo de excelência, ninguém tem a capacidade de nos ensinar nada, nem como agir, nem o que fazer ou como fazer; mas que aprenderemos por imitação. São as atitudes daquele(s) que tomamos como modelos que determinarão as nossas próprias atitudes no futuro. 

Confesso que tomei isso pra mim, e passei a prestar ainda mais atenção naqueles que admiro e aos quais tento e tentarei imitar sempre. Sei que a muitos deles jamais me aproximarei, mas tentarei até o fim reproduzir o exemplo. É praticamente o “quando eu crescer quero ser que nem você”.

Assim, tentarei imitar a coragem e a bondade sobre-humanas de minha mãe, o jeito desencanado da amiga louca, a generosidade do meu melhor amigo. Tentarei ainda alcançar a capacidade de olhar tão profundamente no olho do outro como se olhasse diretamente em sua alma e de dizer sempre a palavra mais adequada daquele que nem é tão próximo e talvez até sem sabermos já seja um grande amigo. Quem sabe conseguirei imitar o relacionamento daquele casal fofo que quando cruzo pelos corredores, sempre peço aos deuses do amor que os abençoe e que não se esqueçam de que eu também mereço viver um daqueles, ou ainda, os mestres e grandes mestras que encontrei e encontro pela vida educacional e acadêmica. Todos, muito bem escolhidos. 

Os meus paradigmas de como encarar a vida e de como fazê-la melhor, sempre. 

E você, já pensou quais são os seus modelos de vida? Em que de verdade tenta se espelhar? Pense talvez isso possa fazer uma tremenda diferença lá na frente.

2 de jun de 2011

Porque ultimamente tenho utilizado mais a primeira do singular...

Preservo meus cristais, minhas preciosidades, e eles não são materiais, palpáveis ou visíveis. Mas, respeitem minha quase esquizofrenia, eu não sou o mesmo pelo curto período de uma hora imagine em um dia, por dias, ao longo dos anos. Não é pra mim, sorry!

Eu sei que não fácil, mas esse é o único jeito que eu consigo. Entre toda a minha confusão, e apesar de tudo eu sou o melhor que posso, eu tento fazer o melhor que posso. Mas não esperem que aja da maneira mais acertada quando a ponta da orelha estiver vermelha (sinal de nervosismo ou ansiedade), isso é o sinal mais banal de que algo está errado e que eu não responderei da melhor maneira. 

Recentemente li em algum lugar, que como sempre não lembrarei aonde que o importante não é onde conseguimos chegar, mas o caminho percorrido. E com exceção de uma pedrinha aqui, uma poça ali, eu tenho gostado muito do meu, obrigado!

P.S.: é tudo meio confuso, mas faz parte da esquizofrenia (rs), na verdade é mais um desabafo, ou pensamentos traduzidos em palavras... Porque ultimamente tenho utilizado mais a primeira do singular, sei lá, pode ser egocentrismo, mas tenho achado que eu importo mais a mim mesmo que qualquer outra pessoa, mas mesmo assim, preservo meus cristais.