25 de fev de 2014

w.

por algum tempo senti saudades de você. saudade do seu olhar de segurança, do seu cheiro misterioso, do seu corpo pressionando o meu. me fazia falta a sua mão sobre o meu corpo e da voz rouca me dizendo "oi" ou "você vem?". por algum tempo senti saudades do seu corpo nu, da sua cama, das tardes de chuva que passamos sobre ela. por algum tempo senti falta de te ver, de me encantar com o seu sorriso. hoje eu senti tanta saudade das nossas conversas: você falante, eu com minhas respostas monossilábicas, você com as suas histórias, eu com as minhas incertezas, você com o seu humor ácido, eu com minha esperança. hoje eu só queria conversar por horas e horas com você para dizer que você estava certo em muitas coisas, eu em algumas, para esquecer dos problemas, para falar mais que as respostas monossilábicas de antigamente. é no mínimo estanho que você ainda faça tanta falta. 

20 de fev de 2014

Meu coração ainda me matará

Achei que um dia não suportaria os abandonos, a solidão, tantas despedidas. 
Sempre achei que meu coração uma hora não suportaria apanhar mais.
Até que descobri que meu coração nunca bateu regularmente,
Há um descompasso em cada pulsar.
Ele não segue o ritmo para bater.
Agora tenho certeza meu coração ainda me matará.

9 de fev de 2014

Eu, nada

Segunda, quando não, terceira opção. Tapa buraco. Substituto. Supérfluo. Substituível. Facilmente descartável. Um zero à esquerda. Facilmente esquecível. Minha família me esqueceu no zoológico quando eu era criança. Poucos professores lembravam o meu nome, alguns nem lembravam que eram meus professores. Alguns conhecidos, quando precisam, até se lembram, mas como não sou rico, nem bem relacionado, nem tenho poder nenhum, eles raramente precisam de algo. Meus amigos, esquecem meu aniversário, esquecem de me desejar feliz natal, mas tudo bem eles eu perdôo. Acho até que alguns que juraram me encontrar no fim de semana seguinte, ou me ligar no dia seguinte, esqueceram de mim, do meus nome, ou do número de telefone. O fato é que não sou inesquecível, imprescindível, necessário para ninguém. Um outsider cuja a existência é quase nada... talvez um erro despercebido da natureza!