30 de dez de 2010

Entre as lembranças de algum lugar do meu passado.


É fim de ano, faltam poucos dias para a chegada do novo ano, ou do ano bom, como diria meu avô. Entre os costumes ou manias, como já ouvi, que tenho está a de fazer uma limpeza material e espiritual. Um dia para jogar fora papéis velhos, contas antigas, correspondências de bancos, embalagens vazias; e as dores, as decepções e as mágoas também. E limpar tudo, para que o ano comece, ao menos, com tudo no seu devido lugar.

Separei as roupas que não usava tanto, joguei algumas sacolas de coisas inúteis que teimo em guardar durante trezentos e sessenta e cinco dias ; limpei e organizei uma boa parte de tudo o que tinha que fazer; nesse percurso fui separando os papéis, fotos, bilhetes e algumas coisas importantes que deveriam ser transferidas para a minha caixa preta, (que não verdade é marrom), ou meu baú de memórias em uma cesta que ficou em cima da estante e já continha uma boa quantidade de coisas.

Foi quando cheguei no criado mudo, a última peça que faltava a ser limpa e organizada, e, entre tantas outras coisas, no fundo da gaveta encontrei uma foto sua, em que me sorrias com os lábios e com olhar, por um instante pensei em simplesmente rasgá-la e jogá-la fora, pois entre as angústias e tristezas daquele ano, a minha maior decepção era você, éramos o nós, que nem sequer existiu. E virar a página daquele ano, incluía coloca-lo no meu passado.

Eu já havia feito isso, poucas semanas antes do Natal, mas a passagem de ano marcaria definitivamente essa ruptura total.

Fiquei um tempo embebido pelo teu sorriso e a rememorar tudo o que poderia ter sido e não foi. Só me dei conta quando ouvi a frase que tocava no som: “Eu aceitaria a vida como ela é...” era a música do Barão que há tanto tempo não ouvia e estava arquivada no MP3. E, por você, eu teria feito, e fiz, muitas coisas que jamais sonhara fazer.

Estranho foi que ao ver o teu sorriso na foto, ouvir aquela música, e pensar nas promessas que não se concretizaram para nós, não fiquei triste ou melancólico, até sorri lembrando que o meu maior desejo do Réveillon passado foi que desse tudo certo, para e entre nós. Não deu. Devo tomar cuidado com o que pedirei esse ano.

A música já estava nos seus acordes finais quando coloquei a tua foto na cesta junto com outras e que como tudo o que havia colocado lá iria para a minha caixa/baú de memórias.

E, não há escapatória, a minha história tem um ponto de intersecção com tua, e mesmo que elas se afastem daqui pra frente, em algum(ns) momento(s) serei obrigado a chegar em ti para falar de mim, e vice-versa. Pois, em algum momento do passado, nos encontramos e entramos um na vida do outro.

Ao guardar a tua foto na minha caixa/baú, encontrei os poemas que haviam sido escritos para ti, eles já estavam lá e mesmo que alguns não possuíssem dedicatória, eu sabia que eles eram dirigidos a ti.

Acabei descobrindo que existem coisas que o quanto antes fizermos, melhor, apesar de serem chatas ou difíceis, é
pior adia-las, pois com o tempo a dificuldade só aumenta. É como remover a tinta dos rodapés, enquanto ela esta fresca, é incomodo mais muito mais fácil do que fazê-lo seis meses depois de ela estar seca, ou ainda, por um ponto final numa história que mal começou, ou começou mal, não sei ao certo; pode ser difícil logo de início aceitar que não podemos seguir em frente, mas ter certeza disso seis meses depois de espera e um tanto de sofrimento, é um pouco pior. E também que aceitar, o quanto antes, que passou, que é finito, que não deu, que agora o caminho é novo como ano que se iniciará, torna a vida mais fácil e também mais feliz.

Um comentário:

  1. Carlos

    Nosso baú é composto de momentos muito felizes e de momentos que poderiam ser felizes e não foram. Todo esse conjunto de momentos constroem a nossa história, o nosso aprendizado e nossa maturidade.
    As vezes pelo fato das coisas não terem acontecido do jeito que gostaríamos, não quer dizes que naquele instante ela não foi boa para você.

    Um 2011 cheio de esperanças para você e não se esqueça do pedido. Faça o pedido certo heimmm...rs.rs...

    ResponderExcluir