15 de nov de 2011

Abrindo o livro de páginas já um pouco amareladas, não pude deixar de sentir um cheiro que é seu, do seu canto, sua casa, sua terra com brisa marinha e um sol para iluminar seu dia. 

Não pude deixar de grifar com um fino traço a grafite: 

Não é coragem que me faz escrever; é amor.  (Bernardo Carvalho)

2 comentários: