29 de dez de 2012

eu também não (me) entendo

Não uso muitas metáforas. Mas, este foi o único meio para tentar entender e tentar explicar o que estou fazendo. Já algumas vezes, deixei de ir, deixei de tomar o ônibus, simplesmente, porque uma coisa me dizia para esperar o próximo, acaso, intuição, presságio, não sei! No entanto, me parecia a melhor opção e no fim eu não sabia o que poderia acontecer lá na frente do percurso (pode ter sido um sinal e se tivesse ido talvez nem estivesse aqui). Esses passos para trás também me constituíram. Respeitei aquela pulga atrás da orelha, da mesma forma quando ela assopra que devo ir, devo tentar mais uma vez. Então, esta seria uma das razões, a principal talvez, para estar abrindo mão de uma pessoa pela qual esperei tanto e que me pareceu chegar na hora certa, do jeito certo, dizendo as coisas certa. Sim, foi tudo certo demais (mais um motivo para desconfiar), quase perfeito. Vou seguir sozinho, aliás, voltarei a esperar. Porque tem algo me dizendo que se eu avançar, e seguir neste caminho, ainda que acompanhado, lá na frente o resultado pode não ser tão positivo, nem tão perfeitinho, como foi o começo. 

Good luck! 


P.S. e se der me desculpe algum dia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário