8 de abr de 2012

"olha
eu gostava 
é que tu gostasses de mim"




hoje os versos de Adília ressoaram em minha mente. que os ventos os conduzam aos teus ouvidos, pois são todo o pouco que eu gostaria de dizer. deixo o poema por inteiro, porque de todo sofrimento e do humor que sobrevive se constrói poemas, livros, vidas



NÃO GOSTO tanto 
de livros
como Mallarmé
parece que gostava
eu não sou um livro
e quando me dizem
gosto muito de seus livros
gostava de poder dizer
como o poeta Cesariny
olha 
eu gostava 
é que tu gostasses de mim
os livros não são feitos
de carne e osso
e quando tenho
vontade de chorar 
abrir um livro
não me chega
preciso de um abraço
mas graças a Deus
o mundo não é um livro
e o acaso não existe
no entanto gosto muito de livros
e acredito na Ressurreição
dos livros
e acredito que no Céu
haja bibliotecas
e se possa ler e escrever.

Adília Lopes In: Florbela Espanca espanca, 1999. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário