29 de dez de 2011

Eu juro, "felicidade a mim"

Falta pouco. Vamos lá, é só aguentar mais algumas horas e mais um capítulos será encerrado. Capítulo dois, zero, um, um. Ano dual: de tantas alegrias e de muitos sofrimentos. Infelizmente os últimos foram mais abundantes. Logo, a memória que guardo comigo, pelo menos por enquanto, não é das melhores. Ainda estou em carne viva. Apesar da esperança que amanhã pode ser diferente. Será. Já é. 

Ao contrário dos outros anos, 2011 não terá balanço geral de fim de ano, seria maltratar demais a mim mesmo. Não irei chegar a minha listinha de promessas e objetivos. Sei o que ganhei e o que perdi. Talvez em alguma hora coloque tudo na balança, mas talvez. 

Tenho certeza que 2012 será diferente, isso vai além de uma esperança, de uma fé. Porque não basta acreditar, mas temos que agir, não é? Então, ao contrário de outros anos 2012 não começará com um listinha de objetivos, metas e sonhos. Não. Está estampado na agenda, no plano de fundo do meu computador, em pedaços de papeis coloridos um mandamento: "eu juro felicidade a mim!". 

Isso implicará uma série de outras atitudes da minha parte, eu sei. Mas, ironicamente justo no ano em "há" a possibilidade de ser o último da humanidade (como se eu acreditasse) chegou o momento de viver, além da demagogia, cada dia como se realmente fosse o último!


Quem pensa demais não arranja tempo pra viver!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário