5 de jun de 2011

Escolhendo os modelos.

Uma vez eu ouvi, de uma dessas pessoas que temos a chance conhecer uma vez na vida e que vamos admirar para sempre, que ela, assim como os artistas clássicos, acredita que pra sermos bons em qualquer coisa temos que seguir um modelo de excelência, ninguém tem a capacidade de nos ensinar nada, nem como agir, nem o que fazer ou como fazer; mas que aprenderemos por imitação. São as atitudes daquele(s) que tomamos como modelos que determinarão as nossas próprias atitudes no futuro. 

Confesso que tomei isso pra mim, e passei a prestar ainda mais atenção naqueles que admiro e aos quais tento e tentarei imitar sempre. Sei que a muitos deles jamais me aproximarei, mas tentarei até o fim reproduzir o exemplo. É praticamente o “quando eu crescer quero ser que nem você”.

Assim, tentarei imitar a coragem e a bondade sobre-humanas de minha mãe, o jeito desencanado da amiga louca, a generosidade do meu melhor amigo. Tentarei ainda alcançar a capacidade de olhar tão profundamente no olho do outro como se olhasse diretamente em sua alma e de dizer sempre a palavra mais adequada daquele que nem é tão próximo e talvez até sem sabermos já seja um grande amigo. Quem sabe conseguirei imitar o relacionamento daquele casal fofo que quando cruzo pelos corredores, sempre peço aos deuses do amor que os abençoe e que não se esqueçam de que eu também mereço viver um daqueles, ou ainda, os mestres e grandes mestras que encontrei e encontro pela vida educacional e acadêmica. Todos, muito bem escolhidos. 

Os meus paradigmas de como encarar a vida e de como fazê-la melhor, sempre. 

E você, já pensou quais são os seus modelos de vida? Em que de verdade tenta se espelhar? Pense talvez isso possa fazer uma tremenda diferença lá na frente.

Um comentário:

  1. É verdade... sempre tentamos pegar o melhor daqueles que amamos, ou que nos cercam...
    Admiro e também gosto de prestar atenção nas palavras que escuto...
    Há autores, músicos, poetas que tem o dom de nos tocar na alma e de nos mostrar o que queremos... por exemplo... Raul Seixas "há uma porção de coisas grandes para conquistar e eu não posso ficar aí parado..." é o que está me acompanhando nesse último ano de faculdade, e sempre que me pego perdida lembro-me, há uma porção de coisas grandes para conquistar e eu não posso ficar aqui parada...
    Ou quando eu escuto a minha banda preferida "LEGIÃO URBANA" e estou mal, daí escuto Renato Russo dizendo..."olha, ja que ninguém que cuidar da gente, vamos a gente cuidar da gente", e penso... putz! É mesmo, eu tenho q cuidar de mim...
    Mas... seguindo seu exemplo irei elencar...
    Gostaria de desenvolver uma integridade tão clara quanto a da minha melhor amiga, a honra do meu pai, a força da minha mãe, a generosidade do meu ex... a sabedoria da Suzana, a inocência do meu primo, a empatia do meu grande amigo Gil, a esperança de Ró, a determinação de Mel... A descontração do meu anjo...

    Enfeim... preciso melhorar muito, mas acho que estou no caminho certo!

    ResponderExcluir