23 de jun de 2011

Amar não significa deixar-se humilhar

 À todos que não se permitem cair em testesinhos medíocres

Eu não mendigo amor. Não chego nem mesmo a implorar por ele. Talvez por isso esteja sozinho até hoje? Talvez! Mas, acho melhor assim, acho isso bem, como diriam os portugueses. Não me restam, dúvidas, cobranças, inseguranças. Às vezes ausência, solidão, mas sobrevivi a tudo até agora.
Eu preciso encontrar alguém que cale minha boca, que me faça sentir faltar de ar e que faça o meu ar sumir cada vez que se afastar de mim. Amor pra mim é assim, explode. Ao contrário das palavras que são digeridas e praticamente gestadas por invernos e abris até que estejam prontas para ocupar o papel em letras bordôs.  
Nunca me dei bem com certos joguinhos que algumas pessoas fazem, dizendo que não querem, querendo, que não podem, podendo, tudo para testar o outro, para ver se o outro está realmente afim, ou não, e até onde insistirão, como se persistência provasse qualquer sentimento. Me desculpem, mas não nasci pra isso, se quero não precisa me provar nada antes, depois veremos aonde vai, digo que quero e vou, arrisco. E, claro que já quebrei a cara, mas faz parte da vida sócio sentimental de todos nós.
Só lamento, se alguém tentou (ou tenta) aplicar um desses "testesinhos" medíocres comigo, porque eu não liguei mil vezes tentando fazer a pessoa mudar de ideia, não mandei flores para amolecer o coração ou fiquei mendigando o amor de ninguém, mesmo que existisse paixão ou o encantamento. Pois, se me disse não quero, não posso, não dá, eu viro a página, a esquina, o alvo e sigo. Nunca dei murro em ponta de faca.
 E, só ligo, mando flores, peço amor e carinho a quem eu sei que tudo isso será uma imensa alegria, porque desde sempre deixou isso claro pra mim, a quem ligou no dia seguinte ou retornou as minhas ligações que caíram na caixa postal, e me disse de alguma forma que também queria me ver de novo (e tem que existir mais algumas dessas criaturas por aí, mesmo que perdida em algum lugar).
Enquanto eu não encontrar alguém que esteja realmente preparado pra viver sem aplicar joguinhos e testesinhos vou ficando assim e muito bem, obrigado. E se querem saber, arrependimentos não vêm me acompanhando nos últimos anos. Nem pelo que fiz, e muito menos pelo o que deixei de fazer...

Um comentário:

  1. Oi Carlos, tudo bem?
    Menino, sempre é bom quando estamos bem com nós mesmos, sem precisarmos de alguém para fazer isso. Mas sempre é melhor ainda ter alguém para nos fazer sentir isso né? rsrs
    Trilha sonora pra curtir aqueles momentos foça é Keane, procure depois e me fale o que achou, rsrsrs.
    Ai menino, desse jeito eu fico me sentindo, rsrs. Eu nunca acho que está bom o suficiente, acho q sou perfeccionista demais, kkkkkkk
    Bjo menino

    ResponderExcluir