18 de mar de 2017

tenho esperado o seu corpo jogado no colchão, a perna esticada ocupando o meu espaço e o silêncio das madrugadas desfeito pela sua respiração. o teu perfume no travesseiro, o sorriso interesseiro querendo sorvete na cama, querendo a camiseta emprestada, querendo mais cinco minutos do meu corpo sobre o seu. 
contínuo esperando que você chegue para ser presença, companhia e necessidade. para que enrosque o pé no meu e me atrapalhe na leitura dos textos da semana, para que peça que eu leia para ti, ou que pare de falar em Pessoa, Carvalho, Nazarian. Você apenas ouvirá os textos que trago decorados que sussurrarei em seus ouvidos, para depois guardar meus livros e me entregar um dos controles do vídeo-game. 
ainda espero esbarrar contigo na esquina da padaria, dentro do ônibus ou saindo do dentista. sei que você anda por aí, fazendo os mesmos planos para um vida bem normal, mas, assim como eu, ainda não te permitiram a normalidade. 
espero que no próximo inverno, meu abraço não permaneça vazio, que minha cama não fique quente apenas por algumas horas e que as próximas viagens tenham companhia ou um enorme motivo para durarem sempre menos. 
eu estou pronto. 2 anos arrumando o meus caos interior para não te assustar. eu estou preparado para reconhecer-te e não te deixar escapar.... já pode, como se soubesse que este é o melhor momento, surgir, porque eu sei que andas a me procurar! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário