23 de jul de 2013

Dear, I miss you!

Quanta falta você faz! Eu que, infelizmente, estou acostumado a viver, falar e escrever sobre saudade, dor, solidão sigo numa tarefa árdua desde que você se foi. Não há mais aquelas trilhas exatas para o que eu estou sentido. Aliás, até há, mas são sempre as mesmas, sempre as suas. É sempre a sua voz incomparável e inesquecível. Amy, milhares de pessoas lembraram de você hoje, outras tantas, entre as quais me incluo, jamais se esqueceram de você neste dois anos. Dois anos, parece que foi há um mês que a TV anunciava a sua partida... Quanta falta você faz. Há os CDs, DVDs, vídeos no youtube. Mas não há você para dar novos compassos as essas nossas dores. Garota, você me entendia... eu sempre tive certeza disso a cada verso seu que eu ouvia. Você foi a mais bela porta-voz de nós os loucos, intensos, que vivem tudo até a última gota desesperadamente, que necessitam a cada instante de mais e mais amor e não temem o sofrimento...



Ouvindo ela sempre...

Nenhum comentário:

Postar um comentário