19 de mai de 2013

hoje eu só queria um abraço

Porque, às vezes, a solidão corrói até momentos de alegria. Difícil é não ter mais prazos, trabalho atrasado, nem nada para entregar na primeira hora da próxima segunda, pois me deparo comigo e um imenso vazio. Não é falta de pessoas, os poucos, mas mais que bons, amigos estão sempre (que possível) a me rodear e alegrar; não é falta de um corpo qualquer, ou só de beijo, ou só de sexo, isso se encontra facilmente. Mas, eu quero mais que isso. E, mereço mais que isso. É falta de afeto, carinho, cumplicidade. Afinal, uma hora eu devo merecer isso também. E não tem como, em meio a tanta ausência e um bocado de falta, não me perguntar: será que estou fazendo a coisa certa? As escolhas certas? Apostando certo?  Não sei. Talvez isso seja mais um indício de uma tendência obsessiva, depois de ler Freud, mais por obrigação que por interesse comecei a temer tal característica psíquica. Hoje não é meu aniversário, nem nenhuma data especial. Mas, tudo o que eu queria era um abraço, que tivesse o efeito de centenas de palavras. Eu já aprendi palavras não são tudo. Hoje faz mais ou menos um ano e, mesmo eu não querendo, foi impossível não me perguntar onde e como eu estaria agora se os caminhos destes doze meses que nos separaram tivessem sido percorridos a dois... mas caso eu me pegue pensando, "se eu tivesse" ou "se você ao menos tivesse" tenho que lembrar que se não serve pra porra nenhuma, além de gerar mais culpa, insegurança e tristeza. Mas ainda resta a incerteza se o pior é nem lembar ou não conseguir esquecer? Estou precisando virar a página. Escrever cartas e receber respostas nem que elas venham pelo celular às três e cinquenta da mão. Estou precisando de um monte de coisa que nunca tive, mas tudo é incerto e parece distante de mim neste momento. 

Um comentário:

  1. Nossa o texto e otimo. Eu amei.
    Estou precisando virAR A pagina

    ResponderExcluir