25 de mai de 2013

dos conselhos, ou dos sorrisos de um sábado à tarde...

(ou sobre w.)

conselhos não existem apenas para serem dados, mas também seguidos. o pior é que não é fácil ouvir aquela vozinha que diz "faz". se qualquer um nos perguntasse devo ou não? a resposta na certa seria "claro", mas quando perguntamos a nós mesmos, aparece sempre inúmeros motivo pra ficar quieto e não mexer no que está esquecido (ou quase isso). até que num ato, que julgamos ser de extrema irresponsabilidade, nos arrisca - damos o primeiro passo, estendemos a mão ou pegamos o telefone e ligamos. e, foda-se o que acontecerá depois, no mínimo há 50% de chance de ter um resultado positivo. para depois de tanto temer e de tanto pensar, passarmos o resto da tarde sorrindo feito bobos. com a sensação de que a coisa certa foi feita, e nem doeu. só ai percebemos que os conselhos que daríamos a alguém podem ser muito bem aproveitados por nós mesmos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário