11 de jan de 2011

Um ano!!! E a palavra de hoje não poderia ser outra, a não ser: Obrigado!



E hoje, esse humilde blog completa um ano de existência. Há um ano atrás postei os meus primeiros textos aqui. Hoje venho agradecer a todos os que passaram por aqui e me encheram de alegria, aproveito para contar como tudo começou: 

Há exato um ano eu iniciava uma nova empreitada na minha vida, enfim, me enchia de coragem para (re)começar um blog (este blog), decidido que este seria diferente dos outros dois que tive um dia. Esses dois criei e sinceramente não sei por quê, pois além de serem escritos com um  pseudônimo, eu torcia para que ninguém nunca lesse o que era escrito ali, o segundo quando recebi um comentário, até positivo, fiquei morrendo de vergonha e algumas semanas depois deletei tudo. 

Nunca deixei de escrever, escrever sempre foi pra mim um formar de me manter vivo, são, lúcido. E escrevia porque na escrita eu poderia ser o que bem entendesse; e só entendi isso quando fui tocado pelas letras em carne viva da Clarice Lispector. No entanto, nunca tive coragem de divulgar o que escrevia, e antes de vocês que me leram durante esse ano, era muito difícil alguém ter acesso aos meus textos, talvez a melhor amiga e a professora de literatura do ensino médio que tanto me incentivou. Tanto que acabei indo parar no curso de Letras, e talvez tenha sido lá que tudo começou a mudar.

Esse blog foi desejado, pensado e repensado, foi demorado, e praticamente parido. Também surgiu depois de muita dor, e talvez tenha sido um refugio que criei para esquecer um pouco de tudo o que vinha enfrentando. Ele começou a ser pensado em meados de 2009, meu primeiro ano de faculdade, e também um dos anos mais intensos e de emoções extremamente divergentes, foram alegrias inúmeras, dores enormes, dificuldades que pareciam insuperáveis, mas superei; algumas pessoas que chegavam a minha vida e outras que partiam definitivamente.

Passei de Abril até Novembro pensando secretamente em que criar um blog pra mim, escrever não seria problema, porque fazia isso quase que diariamente, apesar de não divulgar meus textos a ninguém. Mas talvez faltasse um empurrão, um incentivo. E inexplicavelmente ele veio de onde menos esperava. 

Entre o fim de Outubro e comecinho de Novembro de 2009 tive uma das piores semanas da minha vida, chegando ao ponto de me perguntar se estava no caminho certo, e pensando sinceramente em desistir de tudo, e talvez recomeçar do zero. Até que numa sexta feira, estava sentado sozinho num banco dos corredores da faculdade pensando em tudo o que havia acontecido recentemente e me perguntando “o que eu faria da minha vida”. Talvez tenha pensado alto demais, porque alguns minutos depois de me perguntar “o quê que eu faço agora?” Vinha passando uma de minhas professoras (sempre muito educada com todos, mas nunca passou a mão na cabeça de ninguém – um exemplo de profissional), me cumprimentou como normalmente fazia e ao ver que a sala que utilizaria ainda estava ocupada sentou-se ao meu lado no banco e simplesmente soltou: “Posso te falar uma coisa?” eu sorri e disse que sim, ela então falou: “É que lendo seus trabalhos, dá pra perceber que você escreve muito bem”. Eu só me lembro que fiquei sem palavras na hora, e só consegui dizer obrigado, mas mesmo sem ver, sabia que meus olhos estavam com algumas lágrimas. Aquela frase de alguma forma era tudo o que precisava ouvir, e mudou a minha vida. Aquele gesto inesperado foi um desses pequenos gestos, que fazem toda a diferença.

Passei o fim de semana com aquela frase martelando em minha cabeça. Talvez não tivesse errado tanto o meu caminho (hoje tenho certeza disso). E talvez a luz tenha se acendido iluminando o novo caminho a ser seguido. 

Chegou 2010 e a vontade de criar um blog se tornou projeto e em cinco dias colocava o primeiro texto. Com o tempo fui dando cara e forma ao Devaneios. Com o tempo também fui tomando coragem de divulgar o link do blog por aí. E com alguns meses já tinha conquistado alguns leitores e seguidores, que com seus comentários que me enchiam de alegria e emoção. 

E, é a todos os que passaram e, sobretudo, aos que continuam passando por aqui que me enchem de emoção e de alegria que eu quero agradecer e dedicar esse um ano do blog. Foram vocês que deram sentido ao meu sonho. Afinal, sem leitores não há nenhum sentido em escrever. E também, que tantas e tantas vezes me mostraram com comentários e mensagens de carinho que nem tudo estava perdido, e que mesmo longe existiam pessoas que concordavam comigo, e que me entendiam. 

Não citarei nomes, pra não ser injusto, mas obrigado! Pela companhia durante esses meses. Sei que nem tudo o que escrevi foi belo, ou bom, mas fazer o quê? Era eu!

4 comentários:

  1. Eu concordo em gênero, número e grau com sua professora. Vc devia levar isso mais a sério e não se resumir em blog, mas escrever um livro mesmo. Por que não?
    Coincidências estranhas, vc fez um ano de um blog off e eu faço um ano de um blog híbrido, huahsuahsuhaauhsua. Que sejamos sempre parceiros e o mais importante, que por mais simples que sejam nossos textos, sejam nossos, sejam nossos pensamentos aqui.

    ResponderExcluir
  2. Eu faço um mês de um blog híbrido*, falha minha.

    ResponderExcluir
  3. Carlos,
    Que bom que gostou da resenha do "Amor Liquido".
    Você está se especializando em que?
    Que bom que criou o blog, e olha iniciar o ano agradecendo é a melhor atitude!

    Volte sempre ao sabor da letra, estou linkando seu blog entre meus favoritos.

    http://www.sabordaletra.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Parabéns!

    Escrever é um hábito que nos liberta!

    Beijos...
    Contunue!

    ResponderExcluir