7 de set de 2010

Entre o certo e o errado

Por que estamos sempre nos perguntando se estamos no caminho certo, fazendo a coisa certa, se aquela é a melhor coisa a ser feita ou a melhor resposta a ser dada?
Eis um dos
ônus de seguir em frente: a incerteza de que se o próximo passo será dado em um solo de aparente segurança mas que acabará nos desequilibrando, ou em solo firme.
Quantas vezes não tentamos olhar pra traz em busca de uma resposta? Quantas vezes não tentamos olhar lá na frente em busca de uma resposta?
E quantas vezes não descobrimos que a resposta estava o tempo todo
conosco, ali bem guardadinha dentro de nós?
Muitas vezes fazemos a escolha certa, muitas (muitas mesmo!) nos
arrependemos de ter feito o que fizemos, de ter preferido isso a aquilo. E muito mais do que alegrias e arrependimentos, encontramos, sobretudo, surpresas que nem sequer desconfiavamos que viriam.
Não há formula certa nem errada, temos nossos caminhos e nossas escolhas. E são essas escolhas que nos fazem seguir em frente, sem grandes arrependimentos, porque o maior deles seria simplesmente não decidir, não escolher, não arriscar: não viver.

3 comentários:

  1. Sim. É melhor se arrepender do que fez do que daquilo que não fez. Sabedoria popular das melhores.

    Viver sem se arriscar? Faça a escolha e mergulhe.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. É, Roosevelt disse:"A filosofia de uma pessoa não é melhor expressa em palavras; ela é expressa pelas escolhas que a pessoa faz. A longo prazo, moldamos nossas vidas e moldamos a nós mesmos. O processo nunca termina até que morramos. E, as escolhas que fizemos são, no final das contas, nossa própria responsabilidade."

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto!
    Penso que seja o grande dilema de nossa vida: escolher! Afinal a todo momento temos que fazer escolhas...

    Abreijos

    PS: Mapa-mundi do Thiago Pethit mostra algumas coordenadas

    ResponderExcluir