25 de fev de 2014

w.

por algum tempo senti saudades de você. saudade do seu olhar de segurança, do seu cheiro misterioso, do seu corpo pressionando o meu. me fazia falta a sua mão sobre o meu corpo e da voz rouca me dizendo "oi" ou "você vem?". por algum tempo senti saudades do seu corpo nu, da sua cama, das tardes de chuva que passamos sobre ela. por algum tempo senti falta de te ver, de me encantar com o seu sorriso. hoje eu senti tanta saudade das nossas conversas: você falante, eu com minhas respostas monossilábicas, você com as suas histórias, eu com as minhas incertezas, você com o seu humor ácido, eu com minha esperança. hoje eu só queria conversar por horas e horas com você para dizer que você estava certo em muitas coisas, eu em algumas, para esquecer dos problemas, para falar mais que as respostas monossilábicas de antigamente. é no mínimo estanho que você ainda faça tanta falta. 

3 comentários:

  1. Mas essas coisas sempre ficam, a gente sempre guarda.
    Boa noite moço,
    Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Olá Carlos, estranhamente pensei neste texto que postas, dia desses...foi uma saudade que, em tese, não deveria existir, mas veio, forte, carregada de lembranças boas e outras nem tanto. A memória está viva, o que não deveria. Sentir falta de algo que se foi, que não participo mais, chego a assustar, será que meu coração ? não, é apenas, espero, uma falta que nunca passará, agora eu sei, mas que deve permanecer na lembrança, não no meu dia a dia, eu também acho, no mínimo estranho que ainda me faça falta. Valeu pelo belo post.
    ps. Carinho respeito e abraço..
    ps2. Usei uma frase tua num post meu, dei os créditos, dá uma olhada, espero que goste e mais: perdão pelo comentário excluído, na verdade saiu duplo e tentei eliminar um e se foi tudo.

    ResponderExcluir