30 de jun de 2013

a minha tábua de salvação é um punhado de papel

Era pra ser uma noite mais alegre... um dia melhor, mas há coisas que não dá pra fazer sozinho. Se estar sozinho é difícil normalmente, viver sozinho é dez vezes mais complicado!  
Todos estão muito ocupados cuidando de suas vidas ou das vidas, ou relações, que lhes são prioritárias. Eu sigo: tentando encontrar alguém que julgue ser prioridade a minha alegria, as minha neuras, os meus sonhos, a minha vida. Longe de desistir no meio do percusso, mas a cada dia desconfio que esse alguém não exista. E se existir de fato, eu corro o risco de gastar a vida buscando sem encontrá-lo. 
As noites de sábado têm me feito dar de cara com a minha própria solidão. Um estado de quase abandono, quase tristeza. Não sei ao certo...
Também não sei se existe alguma estatística, mas acho que suicídios devem acontecer mais frenquentemente nessas noites, onde quase todo mundo está feliz, ou ao menos fingem que estão, pois, sorriem, bebem, beijam, transam... sexta, sábado de qualquer fim de semana, Natal, Ano Novo, etc...
... não estou dizendo que o suicídio seja uma alternativa pra mim, mas compreendo perfeitamente aqueles que optam por isso. Porém, eu sei que não me perdoaria se o fizesse. Enfim, acho que alguma melancolia dos versos de Sylvia Plath se entranhou me mim nos últimos dias. Mas, isso não é de todo ruim.
A literatura é a minha tábua de salvação... páginas escritas desde a antiguidade ou até mesmo no ano passado têm me feito companhia durante essas noites nem um pouco animadas... ao meu lado na cama só tem amanhecido algum livro aberto com o qual eu adormeci quando a insônia foi vencida pelo cansaço. 
Páginas em branco têm feito com que eu despeje nelas a minha solidão, a minha dor, frustrações e teimosas esperanças. 
Eu entendo porque há tanta gente escrevendo...  não dá pra sofrer e ainda engolir tudo... não é digerível; precisamos vomitar tudo em palavras: dizer, gritar, fazer-ver a nossa dor... quem sabe não nos lançam algum olhar... por isso que eu leio, reconhecendo em cada linha angústias que também são minhas...

  

Um comentário:

  1. Sem querer li seu texto em um sábado, que estou indo para a cama sozinho também.... Rsrs. Mesmo porque amanhã trabalho.

    Abraço!

    ResponderExcluir